Bailarina de 17 anos morre por causa de anticoncepcional, acreditam os médicos

6ballet4_2810324a_810_500_55_s_c1

Jovem romena morre com coágulo cerebral. Os médicos acreditam que a causa seja o uso de contraceptivos orais.

MANCHESTER, Inglaterra, 27 de Abril de 2016 (LifeSiteNews) – Maria Santa, uma saudável e talentosa bailarina de 17 anos da Romênia, morreu inesperadamente de um coágulo sanguíneo que os médicos acreditam ter sido provocado pelo uso de contraceptivos orais.

Maria, que estudava na Inglaterra, onde tinha uma bolsa de estudos na famosa Northern Ballet School em Manchester, foi a um posto médico reclamando de fortes dores de cabeça, explicou seu pai Robert Santa. Nenhum exame foi feito para verificar o que havia de errado, e Maria foi mandada para casa com antibióticos.

Mas Maria só piorou a cada dia, disse o pai. Uma segunda visita ao médico tampouco a ajudou.

Maria começou a vomitar de hora em hora, sem ingerir ou beber nada. Indo uma terceira vez a um posto de saúde, ela disse que tinha dificuldade em ficar de pé ou mesmo sentar-se; tudo o que ela queria era ficar deitada. Deram-lhe novamente pílulas e a mandaram de volta a casa.

Dois dias depois, em 11 de Novembro, Maria queixou-se que sentia como se sua cabeça fosse explodir, e ela não conseguia sentir sua perna direita. Ela foi levada ao hospital em uma ambulância.

O sr. Santa disse que quando o médico chegou ao quarto do hospital, Maria “conseguia falar, mas quando ele regressou e lhe perguntou onde se localizava a dor de cabeça, ela já não conseguia mais falar.”

“O médico nos disse para não nos preocuparmos, porque ela estava cansada,” disse o sr. Santa. “Ela já não falava mais, e precisava de ajuda para tudo.”

Mais tarde naquela mesma manhã, o namorado de Maria encontrou-a inconsciente em seu apartamento.

Maria foi levada às pressas para o Hospital Salford Royal, mas não voltou a recobrar a consciência. Ela morreu dois dias depois.

O médico que atendeu Maria no hospital, dr. Jonathan Greenbaum, disse: “Ela era uma mulher saudável e jovem, o único fator de risco era o uso de pílulas anticoncepcionais.”

Ele explicou que o risco de um coágulo sanguíneo com o uso de contraceptivos orais é “muito baixo, mas se você toma a pílula, o risco vai aumentando aos poucos.” Ele disse que identificar um risco médico é difícil, “porque é muito raro e os sintomas podem ser inespecíficos.”

O caso de Maria, disse o médico, foi “apenas um caso de infortúnio e má sorte.”

“Em Greater Manchester, eu diria que teríamos três ou quatro pacientes por ano com esse problema,” estimou o dr. Greenbaum.

O dr. Piyali Pal, patologista, disse que a causa da morte de Maria foram coágulos no cérebro.

“As causas poderiam ser desidratação, desnutrição, um problema de coagulação sanguínea ou o uso de pílulas contraceptivas. Não havia uma causa patológica subjacente,” disse ele. “É muito raro ver isso ocorrer a alguém tão jovem.”

O legista Simon Nelson registrou que a jovem morreu de “causas naturais.”