7 fotografias chocantes e perturbadoras que provam a humanidade dos nascituros

Adelaide

Imagens moldam diálogos, e estes dão origem a mudanças. As fotografias que capturaram a Grande Depressão, o Holocausto, o Movimento pelos Direitos Civis não são apenas o testamento de uma era, mas também exemplos de como as fotos são uma ferramenta eficaz para gerar mudança social. As fortes imagens que preenchem as páginas da história deram início à luta por justiça e impulsionaram o espírito humano.

Talvez o método mais eficaz para comunicar a violência do aborto, a brutalidade da indústria do aborto e a dignidade da vida humana é a fotografia. Abaixo há sete imagens comoventes que mostram a violência do aborto e a humanidade dos nascituros.

Alerta: o post contém imagens explícitas

1) Adelaide Caines

Image

Em setembro de 2014, no Reino Unido, a mãe Emily Caines publicou essa fascinante imagem de sua filha prematura, Adelaide, que nascera com 24 semanas. Em uma entrevista concedida ao The Mirror, Caines afirmou que havia compartilhado a foto de sua filha com o público como uma evidência da humanidade do nascituro e para mostrar a hipocrisia da lei do aborto no Reino Unido, a qual permite que bebês sejam abatidos até a 24ª semana de gestação.

“Nossa fotografia mostra que Adelaide não era um feto, ela era um ser humano plenamente formado”, Caines disse ao Mirror. “Na minha opinião, é aterrorizante pensar que uma bebê como ela poderia ser morta legalmente com base em uma escolha de estilo de vida”.

O jornal Mirror, do Reino Unido, relatou que essa forte imagem da pequena Adelaide é a única foto que os pais têm dela viva fora do útero, já que Adelaide faleceu pouco tempo depois do nascimento por causa de complicações.

2) Nathan Isaiah

Image

Vítima de um aborto espontâneo na 15ª semana da gestação, a breve vida de Nathan Isaiah dentro do útero afirma a humanidade do nascituro nos estágios iniciais da vida. Os pais de Nathan, Allison e Daniel, souberam que haviam perdido o filho depois que solicitaram a audição dos batimentos cardíacos do bebê com o Doppler, durante a 15ª semana de gestação. Quando nenhum batimento foi registrado, a família foi para a sala de emergência para fazer um ultrassom e soube que Nathan havia falecido algumas semanas antes.

“Seu pequeno corpo era tão perfeito, com dez dedinhos nas mãos e dez nos pés”, disse a mãe. “Ele tinha nariz, boca, dois pequenos olhos e duas orelhas.”

Embora a família tenha sofrido com a perda de Nathan, por meio da história dele ela também pôde compartilhar o valor de cada vida humana.

3) A “Casa de Horrores” de Gosnell

Image

Detalhes horríveis da “Casa de Horrores” do abortista Kermit Gosnell, da Filadélfia, revelaram que o abortista matava crianças nascidas vivas em decorrência de abortos malfeitos e perfurava brutalmente o pescoço de algumas delas com uma tesoura. O mundo ficou chocado ao tomar conhecimento do caso, à medida que imagens e testemunhos eram divulgados.

Uma criança chamada de Bebê Menino B foi descoberta durante uma busca policial realizada na clínica de aborto de Gosnell. O menino estava congelado em um saco de proteção de conteúdos com potencial perigo biológico junto com outras 46 crianças. O médico legista disse ao grande júri que aproximadamente na 28ª semana a medula espinhal do Bebê Menino B havia sido cortada, e seu pescoço apresentava a familiar marca da tesoura utilizada por Gosnell. As imagens que mostram os assassinatos desumanos e bárbaros dessas crianças perpetrados por Gosnell ressaltam a natureza violenta dos abortos tardios.

Crédito da imagem: relatório do grande júri.

4) Mãos e pés de uma criança com 9 semanas

Image

Historicamente, as imagens de bebês abortados são ferramentas poderosas para a afirmação da humanidade dos nascituros e da atrocidade do aborto. Essa imagem dos braços e pés de um bebê com nove semanas de vida colocados sobre uma moeda de 25 centavos mostra dedos dos pés e das mãos perfeitamente formados.

Já que a maioria dos abortos ocorre durante o primeiro trimestre, essas imagens fazem com que seja impossível ignorar a humanidade de uma criança, mesmo nos estágios iniciais da vida. As imagens de fetos mostram de forma explícita a natureza do aborto e a violência que ele causa em um nascituro.

5) A “Mão da Esperança”

Image

Apelidada de “Mão da Esperança”, essa incrível imagem do bebê Samuel Armas segurando o dedo de um cirurgião foi registrada pelo fotógrafo Michael Clancy. Os médicos operaram o bebê Samuel ainda dentro do útero depois que ele foi diagnosticado com espinha bífida. Clancy observou que, antes de ter capturado a imagem icônica, ele era “indiferente” ao tema do aborto. “É apenas uma imagem milagrosa, um momento milagroso”, disse Clancy à Fox News em uma entrevista alguns anos depois. “A imagem mostra a interação humana mais prematura já registrada”.

A mãe de Armas, entrevistada dez anos após o registro da imagem, disse à Fox News: “Acima de tudo, Samuel a identifica como uma mensagem pró-vida”. Ela disse: “Essa foto aconteceu e Deus a usou para mostrar às pessoas que o bebê na barriga da mamãe está vivo. Ele está feliz por essa fotografia transmitir essa mensagem”.

Crédito da foto: Michael Clancy

6) Abortos forçados na China

Image

Em 2012, uma imagem desoladora de um bebê morto da China lançou luz sobre a terrível política de filho único da China. A imagem de um bebê com nove meses de gestação mostra a criança submergida em um balde com água. Supostamente, a fotografia foi postada para a Baidu, empresa chinesa de serviços de internet, antes de ter provocado indignação nas redes sociais chinesas. Relatos ingleses observam que a mãe foi forçada a entrar em trabalho de parto e a criança foi deixada no balde com água para morrer afogada após o nascimento. Reggie Littlejohn, fundadora da organização Women’s Rights Without Frotiers [Direitos das Mulheres Sem Fronteiras] disse ao LifeSiteNews que as crianças são mortas violentamente em abortos tardios em todo o território chinês.

“O aborto forçado é a guerra da China contra as mulheres”, disse Littlejohn. “É o estupro oficializado pelo governo. Bebês que estão prestes a nascer são mortos por meio da injeção de veneno em seus crânios ou são afogados em baldes.”

Outras imagens de abortos forçados na China também geraram indignação.

7) Walter Joshua Fretz

Image

No verão de 2013, Lexi Fretz estava com 19 semanas de gravidez. Nada parecia estar fora do normal até que Fretz percebeu que a suave mancha na qual havia reparado alguns dias antes surpreendentemente se tornara rosa. Preocupada, Fretz solicitou atendimento em uma sala de emergência e mais tarde, naquela mesma noite, entrou em trabalho de parto inesperadamente. Seu filho de 19 semanas, Walter, não viveu muito tempo fora do útero e morreu alguns minutos depois do nascimento.

“Eu o segurei, o abracei enquanto seu coração ainda batia e o coloquei perto do meu coração”, relembrou Fretz. “Contei seus dedos e beijei sua pequena cabeça. Sempre me alegrarei com as memórias que tenho dele. Ele estava plenamente formado e tudo estava lá, pude ver seu coração batendo em seu pequeno peito.”

Image

Essas emocionantes imagens de Walter feitas pelo marido de Fretz impactaram milhares de pessoas.

Crédito das fotos: F2 Photography by Lexi

Publicado com a permissão de Live Action News.